Ouvir e não escutar

Pare de ouvir
e de falar
pare de parar
pare de tentar
pare de se encher ou gritar
pare de ler
pare logo

Assim como paro disso
pois o parar é dor
assumir a frustração dói
escolher o caminho errado dói
assumir que o fez é pior
mas não deveria

Falando a gente não ouve
e se ouve não quer dizer que entendeu

Parando a gente não tenta
mas só tentando a gente não acerta

Lendo a gente se enche
e irritado ninguém fala baixo

Logo, parando as meias-atitudes
a gente vive inteiro um momento


+ 2

Tagged: poemas

Brilho eterno

lua, estrelas, chuva, dipirona
cicatrizes e machucados
escolas e auto-escolas 
habilitação para tomar multa e multa por não ter habilitação.  
dias bons e bom dias. 
meus olhos queimando molhados
meu ciático dedura
mais uma noite mal dormida
porém, vivida.
da luz que ofuscava minha íris
restam nem sombras.
e ainda mais para viver
e para sonhar
e para estar.
estarmos.

+ 3

Tagged: poemas

A culpa é nossa

não repara a bagunça
é que estou de mudança
mudarei, além do endereço
alguns velhos costumes
e logo quem mudará
serão meus ares
precisando disso, de novos
fluídos e mesmo que cálidos
preciso desses ventos.
mas anota ai
caso der qualquer coisa errado
a culpa é minha
mas a culpa da culpa ser minha
é tua.

+ 2

Tagged: poemas

O azar de ser teu é seu

Eu nunca mais vou te soltar
nem te deixar sozinha por aí.
Porque eu nasci pra te fazer feliz
nasci pra te fazer bem
fazer o melhor que eu puder.
Não vou deixar o seu cheiro 
sair do meu braço
nem o aperto 
do nosso abraço.
Aperta mais, meu bem
pode apertar
pra compensar o aperto
da saudade no meu peito.
E eu não quero saber
se você não me quer por perto:
Eu nasci pra estar do seu lado
e o azar é todo seu.

+ 9

Tagged: poemas

Domingo

Adeus comodismo pasmo
Te troquei por uma passagem
Outra boa oportunidade em outro estado
E onze horas de coragem
Logo digo adeus assim, sem hesitar
Não há contradição no meu diálogo
Outrora encontrarei eles e outro dialeto
A mesma língua falada por quem não é de onde vim
E em meio ao caos da renovação
Cercado pelas diferenças
E perdido nesse Brasil brasileiro
Espero desconstruir quem eu não gosto
E onde não pretendo estar
Em mim

+ 1

Tagged: poemas

Beijo apertado

dê-me tua mão
agarre este braço
dar-te-ei meu abraço
se prometer
nunca mais romper este laço
este compromisso
da mão no meu braço
num enlaço
embaraço
deste longo 
abraço

(Victor Rodrigues)

+ 6

Tagged: poemas

Pois é

guria nova na vida
o que tem de nova
tem de bonita
cai de cabeça no teu romance
menina nova da escola
porque você é de verdade
muito nova
pra pensar demais
cai de cabeça no teu caso
com o garoto que é todo braço
pra ver no que dá
ser jovem e iludida
pequena da boca fina
que a vida ainda não marcou

+ 1

Tagged: poemas

Feromônio

caminhava de manhã
e na manhã, não me via
manhã chuvosa e fria
e eu, caminhando pela rua
milhões de questões
rodopiando minha cabeça
permaneci a andar
pronde tinha que ir
porém estava muito longe dali
foi quando de repente veio você
dobrou o passeio 
e seguiu caminhando na minha frente
te analisei de cabo a rabo
e tenho certeza
que sua mãe te fez no claro
silhueta perfeita
e o cabelo comprido 
pra fora do guarda-chuva
onde será que você vai?
deve ir pro mesmo lugar
que os meus pensamentos foram
quando te vi passar

+ 2

Tagged: poemas

Pseudo canção

Há algo errado em tudo isso

Eu aqui e você 

Conversamos sobre tudo
Mas o tudo nunca acaba
Pelo menos até agora
Eu pude contar nos dedos
Todas as vezes 
Que não tínhamos mais nada a dizer

Há algo errado em tudo isso
Eu aqui e você

Mesmo que fosse este o caso
De não termos o que dizer
O silêncio falava por nós dois
Tudo que ninguém precisava dizer
Meu bem
Diz que você também

Há algo errado em tudo isso
Eu aqui e você

Eu aqui sem você me condena 
Estou cumprindo pena
Prisão perpétua à tua presença
Viaje agora até aqui
Para pagar a fiança
Meu bem
Diz que você vem

Há algo errado em tudo isso
Eu aqui e você tão longe de mim
Há algo errado toda vez que nos despedimos
Eu aqui e você tão distante do que seríamos 
Há algo muito errado em tudo que não nos permite estar
Eu aqui e você…

Eu aqui e você também
Meu bem

+ 3

Tagged: poemas

Guia

Desfiz-me na noia de ter você. Varei madrugadas buscando onde você não estava. Extravasei o stress, descobri esperança, reinventei meus caminhos. Seus passos. A paranoia ainda estende-se até onde a vista não alcança. Quando reflito sobre o mundo, nada me parece fazer sentido, pelo menos se eu não puder desbloquear essa nova habilidade de conduzir-me para onde quero chegar. Mas, o mundo nunca me fez bem. Chamo alguém de mundo, agora. O meu. Sem dor, sem mágoas, sem confusões, sem perfeições, sem pretextos. Falando em textos, você não morre mais. Eternizei-te-ei nos devaneios literais de minha autoria. Agora é vento e leme, vela e mastro. Navega pelos caminhos da rede dando vida aos outros que, como nós, são iguais por serem ímpar. Ainda fico acordado a te encontrar: porém, inerte no leito finito dos meus espaços de tempo e finais de semana finitos também, infelizmente.

+ 1

Tagged: cartas

Três é demais

A caneta caiu da minha mão duas vezes
Desisti de escrever
Coloquei-a na mesa
Rolou até a beirada e despencou até o chão
De novo
Deve ser algum sinal muito específico
Algo está para acontecer
Eu consigo sentir
A caneta caiu três vezes
Enfatizo, foram três vezes
E na quarta, para garantir o fim do ciclo
Arremessei-a no primeiro cesto de lixo
Se fosse numa quadra de basquete
Faria três pontos facilmente
No entanto!
Estava certo, realmente haviam coisas por acontecer
Parei de girar a caneta nos dedos
(Consequentemente parei de derrubar ela)
E finalmente escrevi algo
O papel em branco clamava por isso
Cessei a odisseia
Da caneta que caia
E do papel que se destruía
Em pranto
(Pela minha infinita falta de ter o que dizer)

+ 4

Tagged: poemas justafrag

Lágrima de balde

Quero correr para você
Quanto mais leio sobre você
Quanto mais descubro coisas sobre você
Quanto mais os versos deste poema terminam em você
Mais eu quero vê-la.
Quero te ver acelerar os passos ao meu encontro
E o sorriso bobo depois de transcendida toda aflição existente
Ouço as tuas lágrimas derramarem aos baldes daqui.
Sinto tua essência flagelada pelo mundo
Clamar por colo de baixo das cobertas.
Porque eu não durmo mais
Sou todo pensamentos
Quero correr para você.

+ 4

Tagged: cartas justafrag

A minha língua tem sempre um eu te amo e minha maior saudade sempre um sorriso.

+ 2

Já vai

Acho que nunca vi. Nunca me vi tão inspirado, nem tão desesperado quanto a um certo tempo venho notado. E sim, me observo como se não soubesse quem está no controle de mim. Sobre isso, digo que sei o que é deixar situações e objetos, pessoas e projetos, no comando da minha existência. Mas nada disso se compara à essa nova perspectiva de ver as coisas. Mudou meu olhar, gostei de mudar. E agora, todas as músicas tem um suspiro quente, mesmo que indiretamente. Como num sussurro, telepatia, de longe eu observo minha noite virar dia. Tardia. 

+ 2

Tagged: aforamas cartas

Termine isso

nem tudo é perde e ganha
as vezes tudo é só o pareceu ser
as vezes tudo é como dizem
apenas uma questão de aceitar:
seus erros, seus riscos
sua cara pra tomar tapa alheio
mas vai no teu passo
porque no teu compasso
não deve tomar tapas de outrem.
e assim
sem esperar nem tapas
nem aplausos
é mais seguro!
é plausível afirmar, também
que professor, por exemplo
é quem leciona
porém não existe aluno algum
que nunca ensina.
faça as mentes
abra as malas.

(Victor Rodrigues)

+ 0

Tagged: poemas